segunda-feira, 28 de abril de 2008

Êta saudade...



Não cabe mais no peito!!

domingo, 27 de abril de 2008

Faz todo o sentido...


Há certas horas, em que não precisamos de um Amor...Não precisamos da paixão desmedida...Não queremos beijo na boca...E nem corpos a se encontrar na maciez de uma cama...Há certas horas, que só queremos a mão no ombro, o abraço apertado ou mesmo o estar ali, quietinho, ao lado...Sem nada dizer...Há certas horas, quando sentimos que estamos pra chorar, que desejamos uma presença amiga, a nos ouvir paciente, a brincar com a gente, a nos fazer sorrir...Alguém que ria de nossas piadas sem graça...Que ache nossas tristezas as maiores do mundo...Que nos teça elogios sem fim...E que apesar de todas essas mentiras úteis, nos seja de uma sinceridade inquestionável...Que nos mande calar a boca ou nos evite um gesto impensado...Alguém que nos possa dizer:Acho que você está errado, mas estou do seu lado...Ou alguém que apenas diga: Sou seu amigo! E estou Aqui!
- - - - - - - - - - - - - - - - - - -
P.S.: Recebi hoje esse texto de alguém que nunca me viu, nem tão pouco me conhece mas que conseguiu como num toque de mágica, ler todo o meu pensamento. E as coisas ao meu redor continuam assim...imprevisíveis!

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Das Utopias...


Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos,
se não fora a presença distante das estrelas!

(Mário Quintana)

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Fazendo minhas as suas palavras...

"Às vezes vocês não se sentem um tanto indefinidos?" (Mafalda)

terça-feira, 15 de abril de 2008

Construindo trilhos de esperança...


"[...] entre a Itália e a Austria há uma parte dos alpes chamada Semmering, é uma região das montanhas muito íngrime e alta. Assentaram trilhos nessa parte dos alpes para ligar Viena e Veneza... assentaram os trilhos antes mesmo que houvesse trem para percorrer o trajeto. Construiram porque sabiam que um dia o trem chegaria."

(Trecho do filme Sob o sol da Toscana)
- - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -
P.S.: Construindo meus trilhos hoje, porque eu sei que um dia o trem chegará.
Paciência, menina Rebeka, paciência!

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Sobre o hoje...

Por entres flores e roseiras
Fui traçando meu caminho
De nada me serviu prever o futuro
Fazer aspirações
Ele é o que sempre foi:
Incerto, confuso, difuso.
Nessa mesma direção caminham os meus pensamentos
Com passos desordenados
Força inconstante
E talento imprevisível.
Sob suspeita, ando a volta
Procurando o protótipo original de uma "idéia germinante".

domingo, 13 de abril de 2008

E no dia do beijo...

O Beijo (Gustav Klimt)
... Sintam-se todos beijados!

sábado, 12 de abril de 2008

Escolhas...

“Existem algumas escolhas que você sabe que ocorrerão apenas quando elas já estão por explodir. Mas existem outras opções que se insinuam em você e se tornam aparentes com uma espécie de leveza obstinada, que parecem ter crescido lentamente durante os acontecimentos de sua vida em virtude de um misto de moléculas e pensamentos.”
(Loris Malaguzzi)

Sobre barcos e pontes...

Aos poucos, tento lembrar-me do que vivi na pequena Vila das Aves-PT, do que ouvi durante aquele dia e, silenciosamente, sou atraída por um de meus poetas preferidos. Imagino que ele, Mário Quintana, deveria estar à beira-mar, à sombra de um coqueiro, quando em seu poema “Porto parado”, escreveu: “No movimento lento das barcaças amarradas... O dia, sonolento, vai inventando as variações das nuvens...”. Talvez me perguntem o que o movimento lento dos barcos e as variações das nuvens tem haver com educação e muito menos com a ESCOLA DA PONTE. Permita-me explicar-lhes! Por vezes, nós que trabalhamos em Educação e acreditamos numa proposta de educação diferenciada, sentimo-nos como as barcaças do poema de Quintana: “presos”; amarrados a uma educação tradicional, preocupada com valores, rendimentos financeiros e números expressivos. Apesar das cordas, não nos rendemos e continuamos a nos mexer, a fazer desenhos por sobre as pequenas ondas, a inventar variações das nuvens, das práticas pedagógicas realizadas mundo afora! Nuvens parecidas com a Ponte, desenhos tão coloridos quanto os de Reggio. Somos tantos os barcos espalhados em portos diferentes, capazes de ondas gigantescas e revoluções educacionais. É preciso coragem, resistência, determinação, conhecimento e resiliência para navegar por mares desconhecidos, desbravar novos portos, novas águas, agitar outras ondas para, quem sabe, acabar por mexer com todo o oceano; algumas vezes tão assustador, mas oceano tão cheio de possibilidades!

Nas entrelinhas do meu chão de giz...

Se eu pudesse, olharia para mim mesma e buscaria lá no fundo de mim o meu DESEJO, o maior e mais poderoso de todos! Se eu pudesse, viveria esse desejo INTENSAMENTE e desfrutaria das mais inocentes LOUCURAS. Dormiria até mais tarde, comeria mais chocolates, andaria mais tempo descalça e ousaria andar nas nuvens! Viajaria mais, respiraria mais ar puro, contemplaria mais o pôr-do-sol, tomaria mais banhos de mar! Leria mais histórias, inventaria outros enredos, viveria mais romances. Uma coisa é certa: Pensaria menos em finais felizes... NÃO! Esqueceria os finais e lembraria apenas dos começos...Início de primavera...amizade...namoro...Princípio do verão...fogo da paixão, corpo queimando em brasa! Começo do outono...amor maduro...pensamentos quietos. No entanto, é chegado o inverno... recomeço de tudo, de novas descobertas e de outros destinos.

Sobre o cuidado...

Às vezes, as pessoas só precisam de um gesto pra se sentirem especiais. Um sorriso, um piscar de olhos, um toque, um bilhete, um elogio inesperado, um telefonema no momento certo, uma massagem no local dolorido, um carinho, um afago, um cantinho aconchegante pra conversar. Essas pequenas felicidades é que tornam mágicos os nossos dias e nos transformam em seres especiais, diferentes...únicos!

quinta-feira, 3 de abril de 2008

SOLriso...


Por vezes basta um raiozinho de sol pra me deixar assim: boboca!!
Hoje, ele rompeu o cinzento céu nublado e chuvoso,
Renovou o meu ânimo,
Clareou meu pensamento,
E aqueceu meu coração.
O cinza deu lugar ao azul!
A chuva deu lugar ao SOl ,
E no meu rosto surgiu um sorriso assim...BOBOCA! :)

Se alguém perguntar por mim, diz que saí por aí na companhia do Jota Quest, cantando:

Ei, dor!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada
Ei, medo!
Eu não te escuto mais
Você não me leva a nada...

E se quiser saber
Pra onde eu vou
Pra onde tenha Sol
É pra lá que eu vou...

terça-feira, 1 de abril de 2008

O vazio de mim...


"O vazio é um meio de transporte pra quem tem coração cheio."

(Paulinho Moska)